ManejeBem

Podas de Árvores Frutíferas - Parte 1


1) Conceitos gerais


> Muitas árvores frutíferas precisam ser podadas para atingir uma produção constante e possível de gerar renda, tanto para pequenos produtores, quanto para grandes produtores; 


> IMPORTANTE: Sempre passar pasta bordalesa ou tinta látex após a poda para evitar doenças e pragas;


> Existem algumas plantas que não precisam ser podadas, por exemplo: açaí, abio, cambuci, caju, entre outras que falaremos mais adiante;


> Diferentes plantas apresentam diferentes formas de frutificação. Por isso, temos que entender sobre os tipos de poda, mas também saber quais são as características de frutificação de nossas plantas (chamamos de “hábito de frutificação”) e quais as técnicas adequadas para elas.


> Hábitos de frutificação:


- Em Ramos especializados: Geralmente são ramos mais curtos, que normalmente chamados de esporões, apesar de possuírem outros nomes. Os ramos mais longos não geram frutos, mas são importantes para a geração de energia. Exemplos: macieira e pereiras;


- Em Ramos do ano: Novos ramos do ano que darão os frutos. Exemplos: cítricos, goiabeira e caquizeiro; 


- Em Ramos mistos: A frutificação ocorre em ramos do ano anterior e em esporões também. Exemplo: ameixeira e pessegueiro.


> O objetivo principal da poda é melhorar algum aspecto das plantas, de acordo com o interesse do agricultor;


> De forma mais específica, podemos dizer que temos sete objetivos principais com a poda:


a) Dar mais vigor à árvore ou planta frutífera;


b) Aumentar e melhorar a produção;


c) Direcionar a planta para que ela fique com altura adequada para o manejo e colheita;


d) Direcionar o crescimento da planta da forma que desejar;


e) Balancear a quantidade de ramos frutíferos e ramos vegetativos, para obter maior e melhor produção;


f) Retirar ramos secos, com doenças, desnecessários ou que estejam atrapalhando o desenvolvimento da planta;


g) Gerar regularidade na produtividade das safras.


> Para alcançar esses diferentes objetivos, são necessários diferentes tipos de podas, realizados em momentos específicos, e tecnicamente de forma correta;


> A poda vai acompanhar a vida toda da planta, desde quando ela é pequena, até ela chegar no estágio produtivo, por isso é muito importante conhecer sobre os tipos de poda e as necessidades de cada estágio fenológico da planta específica;


> Curiosidade: Uma das teorias mais aceitas é que a poda foi criada pelo ser humano a partir da observação da natureza. Ao observar animais se alimentando de alguns ramos e como consequência, as plantas desenvolveram-se com maior vigor, o ser humano começou então a estudar e se aprofundar na técnica da poda;


> Vamos abordar a seguir os tipos de podas e algumas questões sazonais importantes. Em outras seções sobre o tema vamos falar sobre as podas mais específicas de algumas frutíferas.



2) Poda de Formação, ou condução da planta


> Objetivo 1: Definir a altura do tronco da planta;


> Objetivo 2: Definir os números e as posições das “pernadas” (ramos), que é muito importante para ter uma produção significativa e ao mesmo tempo mais fácil de colher, além de formar uma planta adulta mais resistente ao tombamento e quebra de galhos;


> A poda de formação NÃO deve ser realizada em: dias de chuva ou dias muito frios;


> Para realizar a poda, as plantas devem estar bem nutridas e irrigadas;


> Devem ser realizadas diferentes podas de formação ao longo do desenvolvimento da planta, geralmente até seus 4 anos de vida;


> A poda de formação deve ser feita quando a planta está ainda nos seus primeiros anos de vida (até uns 4 anos), o que varia entre os tipos de plantas;


> Não é recomendado a produção de frutas nos primeiros anos da planta, pois isso pode comprometer seu desenvolvimento saudável;


> Com uma poda de formação bem feita, a planta fica com as pernadas bem distribuídas, recebendo uma quantidade de luz e fluxo de ar necessários, e assim a frutificação ocorre de forma equilibrada;


> Ramos que vão em direção ao solo ou que formam uma copa além da altura desejada, devem ser retirados;


> Sempre passar pasta bordalesa ou tinta látex após a poda para evitar doenças;


> Assista o excelente vídeo abaixo sobre a poda de formação de limão Tahiti, muito similar a poda de outras cítricas, como a laranja:


https://www.youtube.com/watch?v=kIXBANyQMRs 



3) Poda de Produção


> Objetivo: equilibrar a quantidade de ramos destinados a produção de energia para a planta e ramos destinados a produção de frutos;


> Somente é feita quando a copa da planta está formada;


> A poda ocorre durante a fase de produção;


> O que se poda: ramos com frutificações;


> Para realizar a poda de forma correta é necessário conhecer bem sobre a espécie da planta em questão;


> É uma poda que tem maior importância para plantas que produzem frutos em ramos do ano (ramos novos), como a videira;


> É muito importante para equilibrar a produção da planta, evitando grandes variações em safras distintas;


> Variáveis importantes: espécie, estado geral da planta, cultivares, clima, momento do ano, etc.


 


4) Poda de Limpeza


> Objetivo: Manter a saúde e a forma da frutífera;


> Retirada de galhos ou ramos localizados em locais não adequados, secos, fracos ou atacados por pragas ou doenças;


> São mantidas as ramificações principais, deixando cerca de 40-50 cm dessas pernadas principais;


> Realizado em plantas que não necessitam de muitas podas, por exemplo: mangueiras, laranjeiras e jabuticabeiras;


> Realizada no inverno, que é um período de menor metabolismo das plantas;


> Em cítricos: realizado após a colheita.


 


5) Poda drástica


> Objetivo: trazer mais saúde e vitalidade para plantas mais antigas ao renovar a copa da árvore;


> Consiste na retirada total das copas;


> Após uma poda drástica, a frutificação geralmente demora mais, pois a planta investe suas energias em promover seu crescimento vegetativo;


> O inverno é o momento mais adequado.



Poda drástica em goiabeira


Fonte: Scarpare Filho, 2011.


 


6) Poda de Renovação (esqueletamento)


> Objetivo: Reestruturar a copa, mas sem alterar as posições das pernadas principais;


> Os ramos principais são mantidos, mas os secundários são retirados;


> Comum em pessegueiros.



Poda de esqueletamento em goiabeiras


Fonte: Scarpare Filho, 2011.    


 


7) Podas sazonais


7.1) Poda Hibernal ou Seca


> Poda feita entre fim do outono e começo do inverno;


> Em pomares de larga escala, essa poda é realizada desde o início da queda das folhas até o começo das brotações;


> Nesse período, a planta está com reduzida atividade fisiológica.


7.2) Poda de Verão ou Seca


> Objetivo: Selecionar os ramos com maior critério, para aumentar a entrada de luz;


> Realizada tanto em ramos já lignificados (lenhosos) quanto em ramos verdes (herbáceos).


7.3) poda de outono


> Objetivo: impedir que a planta cresça demais no eixo vertical (em altura). Com essa poda, a planta cresce mais lateralmente (ramificações secundárias e terciárias).



Fontes


SCARPARE FILHO, João Alexio; MEDINA, Ricardo Bordignon. Árvores Frutíferas. Piracicaba: USP/ESALQ/Casa do Produtor Rural, 2011. 54 p


SOUSA, J.S.I. Poda das plantas frutíferas São Paulo: Nobel, 2005. 191p.


FACHINELLO, JOSÉ CARLOS FACHINELLO. Fruticultura: fundamentos e práticas. Embrapa Clima Temperado, 2009. 176p.


 


 


 


 

* Clique na foto para ver a imagem ampliada

Cadastrar/Editar Manejo/Produto

* palavras chaves separadas por vírgula. máx. 5