ManejeBem

Cultivo do Cupuaçuzeiro | Parte 1


1. Dados Gerais


Planta da família das Malvaceaes, o cupuaçuzeiro [Theobroma grandiflorum (Will. Ex Spreng.) K. Schum.], do mesmo gênero do cacauzeiro, é árvore frutífera perene nativa da Amazônia. Seu cultivo tem importância social e econômica, sendo de fácil manejo, gerando emprego e renda. Até os meados de 1970 era utilizado apenas localmente, contudo sua produção ganhou maior escala e hoje o mercado do cupuaçu atende a todo o país. Do fruto do cupuaçu aproveita-se a poupa, as sementes e casca (artesanatos). É possível aumentar a produtividade das lavouras através do manejo adequado, da utilização de variedades resistentes à “vassoura-de-bruxa” e de uma maior estruturação das unidades.


Quanto a sua composição alimentícia, sua poupa é rica em vitamina C, potássio, fósforo e ferro. Já as sementes são ricas em lipídios, magnésio, nitrogênio, manganês, cobre, cálcio, boro e zinco.


2. Morfologia 


> Árvore perene, que apesar de alcançar entre 15 e 25 metros de altura em sistemas naturais, em sistemas cultivados sua altura varia entre 6 e 10 metros, com o diâmetro do tronco entre 25 à 35 cm. Sua copa apresenta forma variada, a depender do manejo;


> Apresenta raiz pivotante e elevada densidade de raízes secundárias entre 20 e 25 cm de solo;


> Sua folha é relativamente grande (comprimento: 20 - 35cm; largura: 6 -11 cm), apresenta coloração rósea enquanto jovem e verde ao amadurecer;


> O fruto, que quando maduro se desprende da planta, apresenta formado variado (oblongo, ovalado, elíptico, obovoide ou redondo), com peso médio e 1,2kg;


> Cerca de 40% desse peso é composto pela polpa e placenta, 15% pelas sementes e 45% pela casca. Contudo, em frutos sem sementes, a polpa corresponde entre 60 e 68%.


 


3. Habitat


> Adaptado a clima de floresta tropical úmida da Amazônia


> Ideal (médias anuais): temperatura: 24,8° a 27°C; UR: 77% a 88%; Precipitação: 1900 a 3100 mm – A correta distribuição de chuvas é muito importante para a produtividade;


> Déficit hídrico deve estar ausente em pelo menos 10 meses do ano;


> Vento: prejudicial à produtividade. Utilizar quebra-vento se necessário;


> Natural de várzea alta e terra firme, não suporta alagamento;


> Solo ideal: argiloso ou argilo-arenoso (retem umidade), não deve conter camadas adensadas ou impermeáveis;


> Ocupa estrato de sub-dossel;


> Suporta sombreamento parcial – potencial para consórcio (sombreamento excessivo pode acarretar baixa produtividade);


> Apresenta boa adaptação no Espírito Santo e Bahia - áreas produtoras de cacau;


> Não tolera deficiência hídrica.


 


4. Fenologia


> Para a produção de frutos é necessária a polinização entre plantas diferentes e que não são parentes. A polinização ocorre via insetos e é muito importante.


> Agentes polinizadores importantes: abelha sem ferrão Plebeia minima, formigas e besouros do gênero Baris;


> Floração após 2 – 3 anos do plantio (florescimento tardio em locais sombreados), na estação seca;


> Período de amadurecimento das flores: 25 – 19 dias;


> Frutificação ocorre no período chuvoso, com o pico em março (4,5 a 6 meses após polinização);


> Após frutificação: Planta emite novos ramos;


> Déficits hídricos durante a floração e frutificação impactam drasticamente a produtividade.


 


5. Época do plantio 


> Início do período das chuvas;


> Realizar cobertura do solo e/ou intercalar com plantas que façam sobra sobre a muda;


> Em locais com período de seca prolongada: irrigação.


 


6. Cultivares


> Muitos esforços foram realizados pela Embrapa para o desenvolvimento de cultivares ao mesmo tempo com elevada produtividade e principalmente resistentes à principal doença que acata o cupuaçuzeiro, a vassoura-de-bruxa;


> Clones resistentes: BRS 297, BRS 298, BRS 299, BRS 311 e BRS 312, BRS Carimbó, Coari, Codajás, Manacapuru e Belém;


> Atenção: Há incompatibilidade entre os clones Coari e Codajás – não devem ser plantados próximos entre si.


 


7. Preparo de Mudas


As mudas de cupuaçu podem ser feitas através de sementes ou através de enxertia. Apesar de ser mais comum o método por sementes, as mudas obtidas por enxertia são mais recomendadas, pois mantém as características da planta mãe, que são: resistência à vassoura-de-bruxa (principal fator), alta produtividade, robustez e precocidade.


7.1 Mudas por sementes


> Escolha sementes de árvores sadias e com características desejadas;


> Utilizar um valor 20% acima do planejado a ser plantado, devido a potenciais perdas;


> Escolha frutos sem manchas e sem rachaduras;


> Escolha sementes maiores e arredondadas;


> Plantar imediatamente após colheita ou armazenar em serragem curtida (máximo de 6 dias) ou dentro do fruto não aberto (máximo de 10-12 dias);


> Realizar semeadura em areia média lavada, em local sombreado ou com sombrite 50%;


> O lado mais largo da semente deve ser voltado para baixo; em seguida, cobrir semente com uma camada de até 2 cm de areia lavada;


> A germinação ocorre entre 10 – 15 dias;


> Antes de lançar as primeiras folhas ou no máximo quando estiverem com as primeiras folhas lançadas, as plântulas devem ser repicadas para sacos apropriadas individuais;


> Substrato dos sacos deve ser previamente peneirado e bem misturado;


> Alternativamente, a semeadura individual pode ser realizada diretamente em nos sacos;


> Manter mudas protegidas do sol por 15 dias; em seguida alocadas na porção oeste do viveiro com sombrite 50% (ou folhas de palmeiras) e com irrigação diária;


> Ponto para transplantio: muda com 50 cm de com 8 folhas maduras (geralmente entre o oitavo e décimo mês após repicagem);


OBS 1: Dimensão dos sacos: 35:20:0,15 (altura:largura:espessura);


OBS 2: Composição do substrato dos sacos pode ser:


a. Areia:Solo:Serragem – Proporção (1:1:1);


b. Solo de cerrado:Solo argiloso:Areiagrossa:estero ou cerragem – Proporção (1:1:1:1)


7.2 Enxertia


> Produzir mudas como explicado acima, que serão o porta enxerto. Para isso a muda deverá estar no seguinte estágio: Diâmetro a 10 cm do colo (8-10 mm); altura (70 – 80 cm); a parte que sofrerá o procedimento não deve conter lesões.


> IMPORTANTE: Deve-se coletar os ramos terminais de plantas matrizes diferentes! Pois para que o cupuaçuzeiro dê frutos, é necessário haver a presença de plantas de diferentes genéticas;


> Selecionar ramos terminais maduros e sem brotamento;


> Passo à passo: A Embrapa XX preparou um vídeo bem detalhado sobre os materiais necessários e o passo a passo das técnicas:




Referências:


Aspectos da micropropagação do cupuaçu – Embrapa


Cupuaçu - Theobroma grandiflorum - Procisur 


Técnicas para o cultivo do Cupuaçu – Embrapa Roraima


Cultivo de cupuaçu na agricultura familiar – IDAM 

* Clique na foto para ver a imagem ampliada

Cadastrar/Editar Manejo/Produto

* palavras chaves separadas por vírgula. máx. 5